Da recessão ao boom: retrospectiva do mercado imobiliário

A economia no setor imobiliário, passou por altos e baixos nos últimos anos, depois da crise econômica que ocorreu entre 2014 e 2018, o mercado imobiliário estava em recuperação e se preparando para o início de novos negócios. Entretanto, no primeiro semestre de 2020, a pandemia pausou as vendas e lançamentos devido ao medo e isolamento social.

Desde então, o mercado imobiliário passou por grandes transformações: novas tecnologias, comportamentos dos consumidores alterados e a economia do setor mudou a maneira de negociação das incorporadoras e imobiliárias. Iniciou-se uma corrida para adaptar processos e torná-los digitais. Tour virtual, vistorias à distância, visitas virtuais e até assinatura de contrato de forma online fez-se necessário. Essas mudanças tornaram mais rápidas as jornadas de locação e compra/venda.

A relação do brasileiro com sua residência mudou, com o isolamento social e home office, a procura pelo imóvel ideal aumentou e a necessidade de ter facilidades na hora de alugar também. O Seguro Fiança Locatícia, garantia imobiliária que substitui o fiador e depósito caução, cresceu 76% no ano passado, de acordo com a Federação Nacional de Seguros Gerais (FenSeg). Além disso, contratar um serviço de proteção do imóvel ganhou importância no orçamento familiar e a procura por Seguro Residencial cresceu quase 4%.

Apesar do medo da recessão, aconteceu o boom da retomada do setor no segundo semestre de 2020. A revalorização da moradia e os juros baixos aceleraram a recuperação do mercado que chegou a bater recordes nacionais. Nesse ano, dados da Abrainc, revelaram que o mercado imobiliário cresceu 35,3% em apenas nove meses. Outro indicador que o mercado está aquecido é o crescente número de corretores de imóveis que aumentou em 11% desde o início da pandemia, foram 30 mil novos corretores entre janeiro e agosto de 2021. O número de imobiliárias também saltou de 47 mil para 56 mil.

O Grupo RV também entrou em ascensão no período da pandemia e teve um crescimento de 204% em relação aos serviços de vistorias imobiliárias, aumentou cerca de 269% na emissão do Seguro Fiança Locatícia e em mais de 115% na contratação do Seguro Residencial.

A tendência é que o setor se mantenha aquecido, com novas demandas e lançamentos surgindo, é importante acompanhar o ritmo de mercado e as tendências para se destacar e entregar ao consumidor uma melhor experiência com mais agilidade, segurança e qualidade.

Mais para explorar