Relatório do Mercado Imobiliário de 2022

Para o êxito de uma determinada ação estratégica de investimento, no que se refere ao segmento de atuação, são levados em considerações, alguns fatores como: análise de risco, estudo de viabilidade, visão macro do negócio dentre outros aspectos. Pois, neste artigo sobre os “Indicadores da alta do mercado imobiliário de 2022” não é diferente. Existem alguns indicadores relevantes, que são capazes de medir a temperatura do mercado, para orientar os executivos que desejam investir no mercado imobiliário. Obter a compreensão quanto aos indicadores, irá possibilitar investimentos e aquisições, dentro de um ambiente muito mais seguro.

Estes indicadores, permitem realizar previsões mais seguras, considerando a oscilação do mercado imobiliário, conforme os períodos analisados, para tornar tais dados, peças chaves para tomada de decisões mais assertivas.

Entenda agora quais são esses indicadores e como se beneficiar na alta imobiliária.

Indicadores do mercado imobiliário:

Custo Unitário Básico da Construção Civil (CUB)

O Custo Unitário Básico da Construção Civil (CUB) é uma referência de preços de mercado utilizada para estimativas de custos e orçamentos em obras de construção civil, que serve como base para o cálculo dos custos diretos e indiretos da obra.

O CUB é calculado com base em um conjunto de preços que são atualizados periodicamente de acordo com a região, o tipo de construção, as características da obra e as condições econômicas do mercado.

Logo, o CUB é utilizado para estimar os custos dos materiais, mão de obra, equipamentos, serviços e outros fatores relacionados ao projeto.

Índice Geral de Preços do Mercado (IGP-M)

O Índice Geral de Preços do Mercado (IGP-M) é um índice de inflação brasileiro elaborado pela Fundação Getúlio Vargas.

É utilizado como referência para reajustes de contratos e, por isso, é também conhecido como índice de reajustes de contratos. O IGP-M é formado por três índices: o Índice de Preços ao Consumidor (IPC), o Índice de Preços ao Produtor Amplo (IPA) e o Índice Nacional de Custo da Construção (INCC).

O IPC mede a inflação no consumo de bens e serviços adquiridos pelas famílias; o IPA mede a inflação na produção de bens e serviços; enquanto o INCC mede o custo da construção de imóveis.

O IGP-M é usado como referência para reajustar contratos de aluguel, contratos de serviços públicos e contratos governamentais. Este indicador também é usado para reajustar as taxas de juros de empréstimos bancários e para indexar os salários dos servidores públicos.

Índice Nacional de Custos da Construção do Mercado (INCC-M)

O Índice Nacional de Custos da Construção do Mercado (INCC-M) é um índice que mede os custos médios da construção em diferentes regiões do Brasil.

É calculado pela Fundação Getúlio Vargas e publicado mensalmente, com base em dados de preços de materiais de construção e outros custos de construção e serviços de terceiros.

O INCC-M mede a inflação dos custos de construção e é usado para calcular os reajustes necessários em contratos de construção. Este indicador pode ser usado para acompanhar custos de projetos de construção e para projetar custos futuros.

Índice FipeZap

O Índice FipeZap é um índice de referência para acompanhar o preço de imóveis residenciais novos no mercado brasileiro.

Este índice foi criado pela Fipe e pela Zap Imóveis em julho de 2017, com o objetivo de oferecer aos compradores e vendedores de imóveis, um parâmetro para avaliar o desempenho dos preços dos imóveis no mercado.

O indicador, é calculado com base em dados de preços de imóveis novos de dez cidades brasileiras: São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Curitiba, Brasília, Recife, Porto Alegre, Salvador, Fortaleza e Manaus.

Os dados são coletados, agregados e analisados pela Fipe a partir de informações fornecidas pela Zap Imóveis.

A Fipe e a Zap Imóveis atualizam o Índice FipeZap todos os meses, de modo que os dados e resultados do índice sejam sempre atualizados e relevantes para o mercado.

O Índice FipeZap é um índice de referência muito útil para os profissionais do mercado imobiliário, pois oferece uma visão ampla e atualizada dos preços dos imóveis no Brasil.

É também uma ferramenta importante para os compradores e vendedores de imóveis, pois ajuda a entender como os preços dos imóveis estão se comportando no mercado.

Sistema Nacional de Pesquisas de Custos e Índices da Construção Civil

O Sistema Nacional de Pesquisas de Custos e Índices da Construção Civil (SINAPI) é um sistema de informações destinado a coletar e fornecer.

Informações sobre custos de materiais, serviços e índices de preços da construção civil.

Ele é mantido e operado pela Caixa Econômica Federal e tem como objetivo auxiliar o setor da construção civil na elaboração de orçamentos, na definição de preços de serviços e materiais e na análise dos índices de preço da construção civil.

Este indicador é composto por um banco de dados com informações sobre custos de materiais, serviços e índices de preços de construção civil. O banco de dados é atualizado mensalmente, com informações coletadas a partir de pesquisas realizadas em estabelecimentos comerciais do setor.

Estas informações são usadas para calcular os Índices de Preços da Construção Civil (IPCC), que são publicados mensalmente.

Além de fornecer informações sobre preços, o SINAPI também oferece serviços de consultoria, treinamento e desenvolvimento de aplicativos para o setor da construção civil.

Estes serviços são oferecidos a preços competitivos e permitem que os usuários tenham acesso a informações e ferramentas para melhorar a gestão de seus negócios.

O SINAPI é um importante instrumento de informação para o setor da construção civil, pois permite que sejam realizadas pesquisas de mercado e análises de preços com mais precisão.

Além disso, o sistema contribui para o desenvolvimento econômico do país, pois permite que os preços dos materiais e serviços sejam ajustados de acordo com as necessidades do mercado, sendo um dos indicadores a serem considerados.

Indicadores do Mercado SECOVI (SP)

O Sindicato da Habitação (SECOVI-SP) é uma entidade que reúne os principais profissionais do setor imobiliário de São Paulo, com o objetivo de promover e defender os interesses dos profissionais do setor.

O SECOVI-SP auxilia os profissionais do setor imobiliário a acompanhar o mercado imobiliário por meio do acompanhamento contínuo de indicadores, tais como:

1. Preços de Vendas: Está é a métrica mais importante para entender a dinâmica do mercado imobiliário. Estes dados são obtidos a partir de uma amostra de imóveis vendidos na região de São Paulo.

2. Preços de Locação: Tal métrica é fundamental para quem deseja entender a dinâmica do mercado de locação. Estes dados são obtidos a partir de uma amostra de imóveis locados na região de São Paulo.

3. Taxas de Retorno: A métrica é usada para comparar os retornos de investimentos imobiliários entre bairros. Estes dados são obtidos a partir de uma amostra de imóveis locados na região de São Paulo.

4. Oferta de Imóveis: Utilizada para entender a quantidade de imóveis disponíveis para venda ou locação na região de São Paulo.

5. Índice de Confiança do Setor: É aplicada para medir o nível de confiança dos profissionais do setor imobiliário. Estes dados são obtidos a partir de uma pesquisa realizada com profissionais do setor.

Esses são alguns dos indicadores que requerem certa atenção para atuar no mercado imobiliário, com a finalidade de garantir negociações mais seguras.


Os artigos assinados são de responsabilidade de seus autores.
Jornalista responsável pela revisão: Ahmed Gharib Shehata – 02657 SC


COMPARTILHE NAS REDES SOCIAIS

Twitter
Facebook
LinkedIn

Posts relacionados

Imobiliárias

Como reduzir disputas de locação?

A redução das contestações nas vistorias de imóveis é crucial para garantir transações imobiliárias satisfatórias.  Os problemas surgem quando imóveis são mal vistoriados antes de

LEIA MAIS